• Redação GRAPE ESG

ESG ainda patina nos bancos brasileiros - notícias, 22 de fevereiro


Fonte: IstoÉ Dinheiro


Os maiores bancos do Brasil vêm divulgando seus balanços nas últimas semanas. Bradesco, Itaú e Santander abriram a fila. Enquanto as demonstrações financeiras estão em alta, o mesmo não se pode dizer de índices ESG (ambiental, social e de governança). As três instituições divulgaram aumento do lucro líquido no último trimestre do ano.


O Bradesco, em seu melhor resultado trimestral, lucrou R$ 6,8 bilhões. Itaú, R$ 5,3 bilhões (7,1% a mais em relação ao terceiro trimestre de 2020). Santander, R$ 3,9 bilhões (alta de 6,2% sobre igual período de 2019). No recém-divulgado Guia do Relatório dos Bancos Responsáveis, no entanto, nenhum alcançou mais de 40% no grau de responsabilidade social e ambiental. O Santander, segundo colocado no ranking, somou 38%. O Itaú, em terceiro, ao lado do Banco do Brasil, atingiu 35%. Bradesco e Caixa aparecem em seguida (33%). No topo ficou o BNDES, com 43%. Além deles foram avaliados BTG Pactual, BV e Safra.


Leia esta e outras notícias sobre o ESG desta segunda-feira, 22 de fevereiro:

ESG ainda patina nos bancos brasileiros A Sustentabilidade Corporativa morreu. Vida longa ao ESG Como incorporar a agenda ESG ao setor de logística? Telecom e Tecnologia são ótimas opções para investimentos ESG, diz BTG Reflexos da ESG nas atividades da advocacia empresarial e ambiental Grandes companhias globais atrelam bônus de executivos a metas ESG *Esta seleção de informações não reflete necessariamente a visão institucional da Grape ESG. Trata-se somente de um clipping de notícias.

The views and opinions expressed in the articles are those of the authors and don’t necessarily represent those of GRAPE ESG and it’s staff.


16 visualizações0 comentário